Mostra Caio F.

Uma casa para Caio Fernando Abreu

A idéia de organizar uma Mostra de Teatro que reunisse alguns trabalhos em torno da literatura do gaucho Caio Fernando Abreu (1948-1996) chegou até mim através de Paulo Goya, responsável pelo Casarão do Belvedere.
O convite veio de encontro a um desejo antigo de realizar algo similar. Aceitei de pronto a missão de reunir artistas que pudessem ter seus trabalhos adaptados para os cômodos da casa. Se todos tivessem aceitado teríamos o dobro de artistas verbalizando as questões do autor e colorindo com corpo e voz suas personagens.

Quem se propor a acompanhar a mostra toda – com oito trabalhos – poderá ter uma noção da diversidade literária de Caio. Suas crônicas publicadas no jornal O Estado de São Paulo na década de 80 (“Epifanias” as sextas-feiras); um dos seus poucos textos para teatro (“ Pode ser que seja só o leiteiro do lado de fora” as quintas-feiras); texto da fase mística ( “O dia em que júpiter encontrou saturno” as quartas-feiras); da fase surrealista (“Uma história de Borboletas” as terças- feiras) e textos onde o vírus do HIV – o autor faleceu em decorrência de ser soropositivo – tem papel relevante (“Todas as hora do fim” aos sábados de junho).
“Os Dragões não conhecem o Paraíso” livro de 1989 que lhe rendeu um prêmio Jabuti, está incluído entre o livro “mais querido” pelos leitores e artistas, serve de base para três adaptações. As histórias de amor e solidão alinhavadas com certa dose de esperança e enlouquecia presentes no livro e no conto/título, servem de base para a versão carioca de Fernanda Boechat ( “Os dragões” apresentado dias 06, 07 e 08 de junho)e para o solo de dança de Fredyson Cunha ( “Das memórias do coração… e dos dragões que não conhecem o paraíso”, aos sábados de junho) que mescla o conto do “dragões” com outros presentes no livro.

O conto mais famoso entre todos – e o mais reverenciado em montagens Brasil afora – “A Dama da Noite” ganhou tratamento singular pelas minhas mãos. “Réquiem para um rapaz triste” oferece uma leitura particular a partir das personagens femininas do autor.

Solidão, loucura, homossexualidade, amor, relações efêmeras, o cotidiano de São Paulo, a morte, a doença e a necessidade do outro, estão entre os temas abordados e propostos ao público presente na Mostra Caio F.

Boa Viagem!
Rodolfo Lima

“Acho que há algo de “errado” com quem cria. É alguém que não está satisfeito com a realidade e precisa recriá-la para poder viver , para suportar o real. Os artistas são pessoas essencialmente carentes. Acho que em nós, atores de teatro isso é mais nítido, somos frágeis. Você no fundo escreve, pinta ou dança para ser amado, para ser aceito…” – Caio F.


12 de maio a 23 de junho – Uma história de borboletas (terças – 21h)

Sinopse: André enlouqueceu completamente, um dia começa a tirar borboletas da cabeça e acaba sendo internado por seu companheiro em um hospício. O companheiro de André após interná-lo passa a reproduzir a trajetória do namorado.

Adaptação: Fernanda Moraes e André Queiroz
Direção: Gabriela Eiras
Elenco: David Kawai
Quanto: R$5 (meia) e R$10 (inteira)
Lotação: 30 pessoas
Duração: 60 minutos
Classificação:16 anos


06 de Maio a 24 de junho – O dia em que Júpiter encontrou Saturno (quartas – 21h)

Sinopse: Pessoas se encontram na madrugada e dialogam de forma fragmentada, expondo a fragilidade das relações contemporâneas.

Direção: Paulo Goya
Elenco: Thiago Kozonoi, Tainah Brandão e André Silva
Quanto: R$10 (meia) e R$20 (inteira)
Lotação: 30 pessoas
Duração: 60 minutos
Classificação: 16 anos


07 de maio a 25 de junho – Pode ser que seja só o leiteiro do lado de fora (quintas – 21h)

Sinopse: Para se proteger do silêncio da noite e da chuva, um grupo de jovens se reúne numa casa abandonada, aonde opiniões, desejos, medos e vontades vem à tona.

Direção e adaptação: Thiago Kozonoi
Elenco: Daniel Grobman Machado, Emerson Grotti, Ednei Batista, Lívia Sales, Marina Souza,
Priscila Clemente e Tainah Brandão.
Quanto: R$10(meia) e R$20 (inteira)
Lotação:30 pessoas
Duração: 90 minutos
Classificação: 14 anos


08 de maio a 26 de junho – Epifanias (sextas – 21h)

Sinopse: Quatro atores narram às crônicas de Caio Fernando Abreu publicadas no Jornal O Estado de São Paulo e reunidas no livro póstumo “Pequenas Epifanias”. Os textos reunidos revelam um autor mais esperançoso e positivo.

Direção e adaptação: Rodolfo Lima
Elenco: Cleber Tollini, Cleber Denuncio, Ivania Davi, Fernanda Brandão

Quanto:R$10 (meia) e R$20(inteira)
Lotação: 30 pessoas
Duração:60 minutos
Classificação: livre


09 a 30 de Maio – Réquiem para um rapaz triste (sábados – 21h)

Sinopse: Mulher solitária recebe o público que senta ao redor da sua cama para falar sobre suas escolhas, seus desejos e suas frustrações. O trabalho existe desde de 2002, viajou para diversas cidades e tem o apoio da família do autor, que aprovou a encenação.

Direção: Ivania Davi
Elenco: Rodolfo Lima
Fotografia: Patrícia Barcellos
Quanto: R$5(meia) e R$10 (inteira)
Lotação: 30 lugares
Duração: 45 minutos
Classificação: 16 anos


06, 07 e 08 de junho – Os Dragões (sábados – 21h e 23h59; domingos – 18h e 20h30 e segundas – 21h)

Sinopse: Diante da solidão do amor, o texto de Caio Fernando Abreu extrai humor e a esperança. A simplicidade da encenação é temperada de estímulos aos cinco sentidos. O impacto da trilha sonora, o suor flagrado em cena, o cheiro de hortelã e alecrim, o toque suave, o sabor do vinho e delicadas iguarias fazem parte de um requintado banquete de sensações.

Direção: Renato Farias
Adaptação: Fernanda Boechat e Renato Faria
Elenco: Fernanda Boechat
Quanto: R$10 (meia) e R$20 (inteira)
Lotação: 30 pessoas
Duração: 60 minutos
Classificação: 16 anos


13 a 27 de junho – Todas as horas do Fim + Das memórias do coração (Sábados – 21h)

Sinopse: Homem volta a morar com a mãe, depois que o companheiro morreu contaminado pelo vírus do HIV. Livremente inspirado no conto “Linda, uma história horrível”, considerado pelo autor o primeiro conto brasileiro a abordar a doença.

Direção e interpretação: Rodolfo Lima
Quanto: R$10 (meia) e R$20 (inteira)
Lotação: 30 lugares
Duração: 40 minutos
Classificação: 16 anos

Das memórias do coração…

Sinopse: A partir do livro “Os dragões não conhecem o Paraíso” de Caio Fernando Abreu, o bailarino recria com o corpo as diversas facetas do amor e sua retratação, criando assim uma linguagem subjetiva e autoral.

Direção, concepção de figurinos, trilha sonora e interpretação: Fredyson Cunha
Quanto: R$10 (meia) e R$20 (inteira)
Lotação: 30 lugares
Duração: 40 minutos
Classificação: 16 anos

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s