Programação de Outubro

MES DE OUTUBRO DE 2012
04 | Quinta-feira | 20H30

“VerTer Amor: Água”

Recital CARMEN NAKASU DE SOUZA – soprano
ao piano AIMAR DE NORONHA SANTINHO

Canções de câmara de Claude DEBUSSY, Gabriel FAURÉ, Robert SCHUMANN e Heitor VILLA-LOBOS

Árias de ópera de CILEA, W. A. MOZART, Vincenzo BELLINI, GOUNOD.

Piano solo: Dança Espanhola n. 5 – Andaluza (Enrique GRANADOS) 

ATENÇÃO : O PROGRAMA PODE SOFRER ALTERAÇÕES

07 | Domingo | 11h00  11 | Quinta-feira | 20h30

QUARTETO OLIVIER TONI

Ludwig Van Beethoven (1770-1827) – Quarteto nº4, op.18, Dó menor
1. Allegro, ma non tanto
2. Andante scherzoso, quasi Allegretto
3. Menuetto. Allegretto
4. Allegro
Heitor Villa-Lobos (1887-1959) – Quarteto nº1 (1915)
Cantilena (Andante)
Brincadeira (Allegretto scherzando)
Canto Lírico (Moderato)
Cançoneta (Andantino quasi Allegretto)
Melancolia (Lento)
Saltando como um Saci (Allegro)
Radamés Gnattali (1906-1988) – Retratos (Suite) Para Bandolim solista, conjunto de choro e orquestra de cordas (composição 1956/57)
Movimentos : I – Pixinguinha (choro) ; II – Ernesto Nazareth (valsa) ; III – Anacleto de Medeiros (schottisch) ; IV – Chiquinha Gonzaga (corta jaca)

QUARTETO OLIVIER TONI
Samuel Mello – Violino
Caio Fabio Machado – violino
Jully Tomoko Yamamoto – Viola
Jefferson Martins Xavier – Violoncelo

Músicos convidados para a Suite Retratos

André Bachur – bandolim
Guilherme Sparrapan – violão 7 cordas
Gustavo Mazon – contrabaixo
Lucas Silva – pandeiro
Eduardo Camargo – cavaquinho

Sobre a suite Retratos:

Entre o final de 1956 e 1957, Radamés Gnattali escreveu RETRATOS, uma suíte para bandolim, orquestra e conjunto regional, onde homenageou, em cada movimento, um dos quatro compositores que considerava geniais e fundamentais na formação da nossa música instrumental: Pixinguinha, Ernesto Nazareth, Anacleto de Medeiros e Chiquinha Gonzaga. Baseou-se sobre uma peça de cada um desses autores para construir os movimentos de sua obra: o choro “Carinhoso” de Pixinguinha, a valsa “Expansiva” de Ernesto Nazareth, o schotische “Três Estrelinhas” de Anacleto de Medeiros e o maxixe “Corta-Jaca” de Chiquinha Gonzaga. Radamés dedicou RETRATOS a Jacob do Bandolim que escreveu-lhe uma famosa carta de agradecimento, que demonstra o desafio que foi para ele próprio executar a suíte, fato que só aconteceu em apresentação no ano de 1964:

“Meu Caro Radamés,

Antes de Retratos, eu vivia reclamando: “É preciso ensaiar…” E a coisa ficava por aí, ensaios e mais ensaios.
Hoje minha cantilena é outra: “Mais do que ensaiar, é necessário estudar”. E estou estudando. Meus rapazes também (o pandirista já não fala mais em paradas). “Seu Jacob, o senhor quer uma fermata? Avise-me também se quer adágio, moderato ou vivace…” Veja, Radamés, o que você me arrumou. É o fim do mundo.
Retratos: valeu estudar e ficar todo fechado dentro de casa durante todo o Carnaval de 1964, devorando e autopsiando os mínimos detalhes da obra, procurando descobrir a inspiração do autor no emaranhado de notas. Çinhas e espaços e, assim, não desmerecer a confiança que em mim depositou, em honraria pródiga para um tocador de chorinhos.”

14 | Dom | 11h00 e 18 |quin | 20h30

RECITAL DE MÚSICA DE CÂMARA PIANO e VOZ

Gabriela Anibali – piano
Rafael Nersessian – baixo

F. Schubert, R. Schumann, R. Strauss, P. Mascagni, R. Wagner, G. Rossini, W. A. Mozart

21 | Dom | 11h00 e 25 | Qui | 20h30

DUO ABUMRAD REIS
Eduardo Janho-Abumrad – baixo
João Moreira Reis – piano

Programas diferentes em cada apresentação

Domingo 21
Federico Garcia Lorca, Isaac Albéniz, Manuel de Falla, Heitor Villa-Lobos, Antonio Carlos Gomes

Quinta-feira 25
Homenagem a Massenet e Debussy – “A França no seu tempo”
Henri Duparc, Hector Berlioz, Gabriel Fauré, Jules Massenet, Claude Achille Debussy, Reinaldo Hahn, Maurice Ravel

28 | Dom | 11h00 e 
01 de novembro | Qui | 20h30

CONCERTO DO “CONSENSUS”
 dos compositores da música antiga aos compositores modernos clássicos e populares

Carolina Rosati Colepicolo – violino
Anderson de Lima – alaúde, guitarra barroca, violão
Nayara Ananda – flautas.

ANÔNIMO
– Venid a sospirar – “Venham comigo, pastores, suspirar de amores no verde prado”

GASPAR SANZ
– Canário – arranjo – Carolina Rosati Colepicolo

LUYS MILÁN
– Falay min Amor (villancico) – “Fala meu amor, fala-me! Se não falas, me mata.”

JOHN DOWLAND
– All ye, whom love or fortune – “Todos vós que o amor ou a fortuna os traiu, que sonham com a felicidade, mas vivem e tristeza, que a esperança sempre se adia, emprestem ouvidos e lágrimas para mim,pra cantar todo este sofrimento.”
– Come again – “Volte, doce amor que despretenciosamente me atrae. Tuas graciosidades fazem me deleitar..ver, escutar, tocar, beijar até morrer de amor!”

FREDDIE MERCURY
– Love of my life – arranjo – Anderson de Lima

ANÔNIMO (colonial brasileiro)
– Ah! Marilia que tormento

CAMARGO GUARNIERI
– Valsa nº 9

FERNANDO SOR
– Cesa de atormentarme – “Pára de me atormentar, memória do tempo que fui feliz! Ainda seria feliz agora, se pudesse esquecer daquelas alegrias.”
– Muchacha, y la vergüenza
“ – Menina, cadê sua vergonha?
– As baratas comeram…
– Você está mentindo menina, porque as baratas não têm dentes!”
– Si dices que mis ojos – “Se você diz que os meus olhos te fazem morrer, confessa isso, e assim te verei, porque sinto o mesmo quando te vejo.”

JOSÉ MARIN
– Canta Jilguerillo – “Canta passarinho, ternas suavidades enquanto voa pelo ar; em tristes acentos troca seus pesares por doces ecos. / Clarín que levanta cedo ao amanhecer, enquanto vem a aurora, cumprimentando com sua voz os riachos e os vales. / O velho Sol, ardente goza da aura suave, onde se misturam sem um temer seu oposto, e se abraçam.”
– Qué dulcemente suena – “Docemente soa a teorba entre os verdes salgueiros invejando as aves, e principalmente o rouxinol. / Seus rodeios são suspiros e estabelecem seus compassos, que em seu triste destino, são o alívio para a morte. / No silêncio mudo, passou a maior parte de sua vida, discreto, queixando-se tarde. / Suspende o canto triste, oh! Macio rouxinol, pois os louros só se fazem para os covardes.”
– Si quieres dar Marica – “Se você quer que tudo dê certo, Marica: fale menos e me ame mais!

ANÔNIMO
– Jigg – arranjo – Carolina Rosati Colepicolo

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s